Breno Airan em 06/08/2017

Na minha

Estive quieto e calado por um bom tempo. E isso é importante: serenar, silenciar um pouco. Ou um tanto.

Breno Airan em 15/04/2017

Ápeiron

Tenho fé que um dia, nessas cidades de muro baixo do interior alagoano, eu encontre forças pra reescrever o livro perdido de Anaximandro.

Breno Airan em 31/03/2017

Se Jesus galego voltasse

Desde a morte de Deus, tudo tem voltado ao normal. As pessoas continuam a roubar umas às outras e, assim, sem perceber matam umas às outras. Com a privação da comida, da moradia, do sono.

Breno Airan em 24/03/2017

Machado cego

Oscar Wilde dizia que uma verdade deixa de ser verdadeira quando mais de uma pessoa acredita nela. Por isso, ultimamente tenho ficado tanto em silêncio. Em debates até interessantes, em brigas desnecessárias. Ainda tô treinando. É muito difícil a gente não falar nenhuma besteira. Por impulso. Por uma certa opressão de expressão. Parece uma necessidade urgente a gente se posicionar hoje em dia. A respeito de tudo. Ter respostas e espalhá-las por aí, seja em qual veículo for. Como um machado cego que teima em querer cortar a Árvore da Sabedoria na base, mas só faz machucar a si mesmo com as reações da 3ª Lei de Newton. Banhados de ilusão, nós batemos com mais força. E mais força.

Breno Airan em 10/03/2017

Fica pra amanhã

Eu deveria ter feito este texto ontem. Na verdade, é só uma condição temporal que venho me condicionando nos últimos meses: prazos, agendas, compromissos.

Breno Airan em 24/02/2017

Carnaval rendezvous

O momento do ano mais esperado pelos brasileiros nunca foi o Natal, mesmo o país sendo um dos mais cristãos do mundo. E, nele, quem sofre mesmo é o peru. Jesus fica em segundo plano.

Breno Airan em 17/02/2017

Hoje é o fim de tudo

Acho que desde o ano 2000, o de Nostradamus, essa deve ser a nona vez que dizem que o mundo vai acabar.

Breno Airan em 10/02/2017

Parabéns, mermão

Eu costumo pensar ultimamente que sou um barquinho de papel. Mas com uma âncora pesada, sempre me mostrando – em sua trilha pelo chão molhado de águas salgadas – de onde vim e que ainda posso seguir com certa leveza. Afinal, sou de papel.

Breno Airan em 03/02/2017

Vamos de táxi

Na quinta-feira passada, aconteceu uma coisa muito curiosa. (Sempre quis ter uma coluna pra escrever uma frase assim. Mentira.) Eu percebi o quanto ando apaixonado.

Breno Airan em 26/01/2017

Na ponta dos dedos

É um negócio danado. Eu me vejo boiando em um mar de dedos. Uns com cutículas, outros com unhas ruídas. Francesinha, sem esmalte, unhas de gel e postiças. Dedos fracos, noivos, curvados, fura-bolo e tantos mais. Sempre tem alguém apontando pra gente. Seja pro lado bom, seja pro lado ruim.

Breno Airan em 20/01/2017

Só pode ser

Estamos em 2017. Eu tenho 27 anos. A semana tem 7 dias (menos pros Beatles). E sete acaba sendo, toda vez, o número do mentiroso. Por isso, o nome “Meio-dia pras 4”. Sem 7 algum no ponteiro.